Aprofundando-se nos sistemas de som para uma sala de cinema em casa

Acompanhe mais detalhes sobre sistemas de som para a casa com automação residencial, e veja por que criar uma sala de cinema em casa.

Graças ao padrão estéreo adotado pela indústria, e à evolução das tecnologias de capital de áudio, hoje, o número de caixas pode ser potencializado, o que acaba gerando muitas dúvidas entre os consumidores.

Os sistemas são marcados por números, como 5.1 e 7.1, por exemplo, em que o número da esquerda representa a quantia de canais de áudio do aparelho, enquanto o número da direita diz respeito à quantidade de subwoofers (usados para reproduzir sequências mais graves, de 20Hz a 200Hz).

automação residencial

O sistema 5.1

A partir dos avanços tecnológicos dos anos 70 e 80, o mercado passou a oferecer os sistemas de áudio 5.1. Quando aplicados em cinemas, otimizam consideravelmente a sensação de imersão ao que está sendo exibido.

É possível, por exemplo, perceber o barulho de carros por uma estrada, e até mesmo a diferença entre um tiro dado à direita ou à esquerda da câmera.

No geral, essas caixas são acopladas ao redor dos ouvintes. Uma é deixada à frente das pessoas (com o subwoofer ao seu lado).

As caixas laterais, por sua vez, ficam divididas, com duas atrás dos espectadores e duas à frente. Isso para que, durante uma cena de ação, seja possível identificar a movimentação dos atores e objetos, mesmo se o expectador estiver de olhos fechados.

O sistema 7.1

Esse sistema conta com sete caixas e um subwoofer, e é a última tecnologia de execução de sons com extrema fidelidade.

O 7.1 é a melhor pedida para exibir filmes Blu-ray, já que consegue destacar cada faixa sonora em uma caixa específica.

Mesmo sendo mais caros, os home theaters com 7 canais possibilitam uma experiência sonora muito mais imersiva e realista durante a exibição do filme.

Banner Home Cinema Hi End Rock ConvertPowered by Rock Convert

Sistemas de áudio: mono, estéreo e surround

Ao longo do tempo, os sistemas de áudio se fragmentaram entre os monofônicos, estéreos e surround.

Hoje, o mono se limita a aplicações que não demandam áudio de alta definição (como autofalantes usados em boa parte dos telefones e interfones).

Conta com apenas um canal para transmitir as frequências de áudio, ou seja, emite as mesmas frequências independentemente do número de caixas usadas.

Os sistemas estéreos são mais modernos e possibilitam que o áudio seja divido entre várias caixas.

Essa tecnologia possibilitou gravações de sons que simulam três dimensões no cinema. Ao fragmentar o áudio entre duas fontes sonoras (à esquerda e à direita), a experiência se torna bem mais real.

Já o surround eleva tanto a quantidade de canais de recepção quanto de emissão de som. Chega a ter até 7 canais e, por isso, proporciona uma simulação que possibilita total imersão e sensação de realidade.

As mordomias de criar sala de cinema em casa

Curtir uma sessão de cinema é uma delícia, mas melhor ainda é apreciar uma pipoca, som de qualidade e imagem de última geração sem ter que sair de casa.

Nesse sentido, o filme pode ser apreciado por você e seus amigos com conforto, aconchego e no melhor horário para todos.

Hoje, é possível ter toda a tecnologia cinematográfica em sua residência por meio da automação residencial.

Saiba mais detalhes sobre automação residencial com a B2Home – portal da casa inteligente

A B2Home fornece aos interessados todas as informações de que precisam sobre automação residencial e os benefícios envolvidos em suas ações, tais como controle total do sistema de som e da sala de cinema em casa.

Navegue pelo site para ter acesso aos demais conteúdos.